Menu

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

NÃO SE ESQUEÇA DO ANIVERSARIANTE



"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz."
Isaías 9.6
Você já imaginou se em tua festa de aniversário começassem a chegar os teus convidados e eles comessem, bebessem e estivessem se divertindo bastante, mas nem sequer se lembrassem de você?
Pois bem, infelizmente é isso o que ocorre em muitos dos lares na época do Natal. As pessoas comem, bebem, se divertem e nem sequer se lembram da pessoa bendita de Jesus.
O Natal sem Jesus não faz nenhum sentido! Natal não é Papai Noel, que, aliás, segundo uma das tradições, se tratava de um homem muito bondoso que nesta época gostava de dar presentes às crianças menos favorecidas, refletindo com isso uma das características do Natal de Jesus – a generosidade.
Natal não é ganhar presentes! Pois estes, por vezes, tiram a atenção do Verdadeiro Presente. A Bíblia afirma que Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu único Filho para que todo o que nEle crer não venha a sofrer a condenação por seus pecados, mas tenha a verdadeira vida no nome de Jesus.
Natal não é gulodice! Esta é uma época em que muitos só pensam em ter uma mesa farta, mas que na verdade reflete que possuem uma tremenda fome espiritual. De que adianta comer e beber com muita fartura, sem deixar que o Pão da Vida nos alimente?
Natal não é amigo secreto! Quantas decepções são vistas num momento como esse? É um presente mais barato do que o que você comprou, é o fato de ter tirado alguém que você não tem afinidade. E tudo isso por quê? Porque nos esquecemos de que o Verdadeiro Amigo não está em secreto, escondido, mas sempre disposto a nos acolher e partilhar de Sua vida conosco.
Natal não é ter a casa cheia! Pois muitos são os que têm a casa cheia, mas deixam o Aniversariante do lado de fora. E Jesus fica batendo, batendo, mas o volume da música é tão alto, as gargalhadas tão constantes, a bebida tão estimulante, que não se percebe que Pessoa principal, o Próprio Aniversariante, ficou do lado de fora...
Neste Natal não se esqueça do principal, não se esqueça do Aniversariante, pois mesmo que você não tenha nada em sua mesa, nem presentes sob a árvore de Natal, com Cristo você terá a verdadeira alegria do Natal.
E com Ele sim, poderemos trocar presentes e ter uma mesa farta, com um coração agradecido pela Sua provisão. Com Ele poderemos ter a alegria da comunhão tendo nossos amigos e familiares por perto, pois com Jesus tudo isso faz sentido.
Que neste final de ano, você desfrute de um verdadeiro Feliz Natal!
Pr. Franck Neuwirth

terça-feira, 25 de setembro de 2018

OBSTÁCULOS COMUNS PARA NÃO ATENDER AO CHAMADO DE DEUS

     Geralmente, quem é chamado por Deus para alguma obra é acometido de vários sentimentos. O problema nem sempre está no fato de não confiar em Deus, mas em não confiar que Ele quer usar pessoas tão pequenas como nós. Vejamos o exemplo disso na vida de Moisés, quando Deus o chamou para guiar o povo (Êxodo 3 e 4):

1.    Sentimento de INFERIORIDADE: “Quem sou eu?” (3.11)

Moisés não se achava capaz para tamanha obra (quem se acha capaz para o ministério?) e por isso menciona esse primeiro obstáculo que todos nós temos para abandonar nossa zona de conforto e seguirmos na direção do chamado divino.

A resposta divina:

“Eu serei contigo” (3.12). Quem bom saber que o Senhor está conosco no ministério, como também disse Jesus: “E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.20).

2.    Sentimento de INCREDULIDADE: “Qual é o seu nome?” (3.13)

Moisés não tinha certeza como iria explicar o chamado dele para as outras pessoas, muitos poderiam dizer que era uma mera invenção de sua cabeça. Por vezes tal sentimento também invade as nossas mentes. Precisamos crer nAquele que nos chama.

A resposta divina: “EU SOU O QUE SOU” (3.14). A menção do Nome do Senhor daria credibilidade a Moisés e este compreenderia que de fato era Deus quem o chamara para essa difícil tarefa.

3.    Sentimento de INSEGURANÇA: “não crerão, nem acudirão à minha voz” (4.1)

Moisés não cria que as pessoas iriam ouvi-lo. Para ele seria muito difícil voltar 40 anos depois para liderar um povo que não creria em sua mensagem. Nós também podemos ter diversas dúvidas no início e até pensar que é um engano do nosso coração, porém o Deus que nos chama, autenticará o nosso ministério!

A resposta divina: “Que é isso que tens na mão?” (4.2). É interessante notar que Deus quer nos usar com aquilo que já temos. Ele quer utilizar aquilo que temos para Sua glória, quer sejam os nossos dons, nossos talentos, nossa profissão, o que quer que seja. A pergunta é: Você quer consagrar o que tem para a glória do Senhor?

4.    Sentimento de INCAPACIDADE: “Eu nunca fui eloqüente, nem outrora, nem depois que falaste a teu servo; pois sou pesado de boca e pesado de língua” (4.10)

Moisés tinha em seu coração que não era capaz de se dirigir diante do Faraó para pleitear a causa do povo e muito menos para falar em público diante da grande multidão dos israelitas. Realmente falar em público, no começo, é muito difícil. Por isso devemos ter sempre em nossas mentes que o Deus que nos chama nos capacitará para toda boa obra.

A resposta divina: “Eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar.” (4.12). Já deu para ver que não adianta dar desculpas para não responder ao chamado divino, como diz aquela célebre frase cristã: “Deus não chama os capacitados, capacita os chamados”. Diante de um Deus tão santo e perfeito, ninguém está apto para coisa alguma digna de louvor.

5.    Sentimento de IRRESPONSABILIDADE: “Envia aquele que hás de enviar, menos a mim” (4.13)

Moisés cria que a obra do Senhor iria acontecer, pois já viu que o Senhor estava insistindo muito nisso, porém quis “pular fora” do chamado, deixando Deus à vontade para escolher outra pessoa. Com isso ele demonstra irresponsabilidade, pois não cria que deveria se envolver com o ministério.

     A resposta divina: “se acendeu a ira do SENHOR contra Moisés” (4.14). Moisés deixou o Senhor irado com suas desculpas e perde a oportunidade de ser o porta-voz direto do Senhor. Agora o caminho da mensagem de Deus seria: SENHOR – Moisés – Arão – Povo. Deus pode até utilizar outros na Sua obra, mas nunca dispensa aqueles aos quais chamou. Lembra da história do profeta Jonas?

     Um verso que tem acompanhado minha vida e meu ministério é o de 1Tessalonicenses 5.24: “Fiel é o que vos chama, o qual também o fará”. Deus sempre é Fiel e nos capacitará para cumprirmos com o chamado que Ele mesmo nos fez. Se o Senhor o tem chamado para o ministério, não dê desculpas, não perca tempo, mais cedo ou mais tarde você terá que obedecer.

Pr. Franck Neuwirth