terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Abandonado por todos, menos pelo Pai...

Texto básico: Lucas 22:54-23:55                                                       
Versículo chave: “Então, Jesus clamou em alta voz: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E, dito isto, expirou.” (Lucas 22:15)

Traição, abandono, negação e humilhação... Parece que a lista de situações horríveis pelas quais o nosso Salvador enfrentou não tinha mais fim. Tudo e todos estavam contra ele. Até mesmo Seus discípulos fugiram!
Como se não bastassem todas as situações emocionais que Cristo enfrentou, Ele ainda teve que passar por diversos flagelos em Seu físico, culminando numa das piores maneiras de morrer: a crucificação. Tudo isso por amor a nós...
Em todo esse processo Jesus esteve sozinho, abandonado por todos, menos pelo Pai. O Pai estava acompanhando cada detalhe do perfeito plano que Ele mesmo estabelecera, ainda que por algum momento Seu Filho tivesse se sentido só, ao assumir sobre Si todos os nossos pecados naquela horrenda cruz.
Nós, à semelhança de Cristo, também podemos nos sentir abandonados em algum momento das nossas vidas, mas vale a afirmação do salmista: “Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o SENHOR me acolherá” (Salmo 27:10).
Lembrem-se: Poderemos ser abandonados por todos, menos pelo nosso Pai. Graças a Deus por tamanho conforto e privilégio!

CONCLUSÃO

  • Você tem se sentido abandonado? Não tem recebido cartas, e-mails ou telefonemas de seus familiares, amigos e irmãos? Busque refúgios nos braços do Pai, ou até mesmo nos braços de sua família da fé!

  • Que tal aproximar-se daqueles irmãos que tem familiares morando mais longe para estreitar os laços (eles devem sentir saudades deles). Deus é Espírito, o que quer dizer que Ele não possui braços fisicamente falando. Mas Ele pode utilizar muito bem os nossos braços para abraçar alguém.



Quem se dispõe a acolher e receber aos nossos irmãos,
de Deus se torna o ouvido, a boca e também Suas mãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário