sexta-feira, 23 de julho de 2010

PARA QUE TODOS SEJAM UM


“Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam um, assim como nós.”
João 17.11

Acho tremenda a oração que Jesus fez em João, capítulo 17, conhecida como “Oração Sacerdotal”.

Tal oração enfatiza a Sua dependência de Deus e também o amor que demonstra para com as nossas vidas. Ele orou a Deus, e tinha tantas coisas em Sua mente, mas orou por nós, pois estava preocupado conosco.

Jesus, como nosso Supremo Pastor, se preocupava com a vida de Suas ovelhas, e, conhecendo o coração humano, com as suas tendências de promover divisões, orou ao Pai pedindo-Lhe que nos fizesse viver em união!

Como é difícil a união! Na verdade tenho visto ao longo de meu ministério como as pessoas buscam o seu próprio interesse e não o de Jesus. Elas preferem fazer o que beneficia a si mesmas e não ao Corpo de Cristo. Elas “puxam a sardinha para a sua brasa”, ao invés de “repartir o peixe”.

Infelizmente tenho visto muitos cristãos sem a disposição de “caminhar a segunda milha” (Mateus 5.41), “perdoar ao próximo setenta vezes sete” (Mateus 18.22), entendendo que “é melhor dar que receber” (Atos 20.35).

Devemos entender que a Bíblia fala que é melhor abrir mão de um direito, em favor do próximo, e do Corpo de Cristo, do que pensar somente em si, promovendo algum tipo de divisão.

Dentro deste assunto, o que falta para que “sejamos um”, em muitos dos casos, é a falta de perdão! Nós, mesmo crentes em Jesus, nem sempre estamos prontos para perdoar aqueles que nos fizeram algum mal.

Quais são as desculpas que damos para não perdoaar ao nosso próximo? Vejamos que para cada desculpa há uma afirmação bíblica:

- A gravidade do mal que ele cometeu? (Mateus 18.32-33)
- Meu orgulho ferido? (Filipenses 2.3)
- Minha própria vontade? (Efésios 5.17)

Vejamos mais algumas considerações sobre perdão, segundo a Bíblia:

- O maior perdão recebemos de Deus (Romanos 5.8)
- Perdão é mandamento, não opção (Colossenses 3.13)
- Quando não perdôo, não ajo como servo, e sim como juiz (Tiago 4.11-12)
- Sem perdoar ao meu próximo, Deus não me perdoará (Mateus 6.15)

Como podemos ver, não existe nada que seja imperdoável! Nada que possa ser uma desculpa para a falta de união entre o Corpo de Cristo, entre nós. Devemos, portanto, ser obedientes à Palavra de Deus, e inquestionavelmente viver em hamonia com os nossos irmãos em Cristo.

Jesus orou por nós! Orou para que sejamos unidos.

Sejamos a resposta de Deus à oração de Jesus - vivamos em união!


Pr. Franck Neuwirth